Carolina Kasting usa a sua arte como fala feminista na exposição Quando a sutileza é mais forte

Artista estreia mostra individual no Centro Cultural dos Correios


17 de setembro de 2021

Além de brilhar em 25 anos de carreira na atuação, Carolina Kasting vem consolidando cada vez mais o seu trabalho como artista visual. Neste sábado, 18, ela estreia a exposição individual Quando a sutileza é mais forte, no Centro Cultural dos Correios, no Rio.

Na mostra, Carol faz da sua arte, voz de corpos femininos. Ela une sua experiência no teatro, na dança e fotografia, para expressar o seu olhar da causa da mulher em objetos, esculturas e instalações.

“Ressignificar esse corpo vítima de violência, tirá-lo do lugar de coisa, para dar um sentido de ser corpo, de sentir corpo, de falar corpo, de estar corpo e saber-se espírito”, diz.

Para Carolina, que recentemente esteve no ar em Salve-se Quem Puder, a ideia com a exposição é incentivar e convidar outras mulheres, assim como ela, a gritar na arte o “poder de ser e fazer a hora que quiser”. 

“Nesse momento social e individual, se torna uma oportunidade única de falar como mulher e artista multidisciplinar, em uma instituição pública de alta credibilidade no meio da arte contemporânea. Transformei-a em oportunidade de fala feminista, que é o lugar onde minha obra se encerra”, fala.