Vívian Renolli: Por trás das câmeras em Bom Dia, Verônica e desafio no humor em Central de Bicos

Multifacetada, ela cita projetos como o de dar aulas de teatro a pessoas em situação de vulnerabilidade


14 de outubro de 2021

Foto: Divulgação

Desde nova, Vívian Renolli já tinha o desejo de seguir a carreira artística, mas a vida acabou levando-a a cursar Engenharia. Só quando percebeu que ia nas salas por obrigação, ela seguiu o seu coração e passou a se dedicar só ao teatro.

Atualmente, ela pode ser vista no elenco do humorístico Central de Bicos, do Multishow, ao lado de nomes como Babu Santana e Maurício Manfrini. “Foi desafiador”, conta ela, que também atuou no longa A Suspeita, ao lado de Glória Pires.  

Além de atuar, Vívian também tem importantes trabalhos por trás das câmeras. Ela foi assistente de direção do sucesso Bom Dia, Verônica, da Netflix. No bate-papo, ela conta que, entre seus próximos projetos, está dar aulas de teatro para pessoas em situação de vulnerabilidade.

Você fazia faculdade de Engenharia mas o amor pela arte falou mais alto. Quando de fato decidiu que queria seguir na carreira artística? Eu tinha facilidade com as matérias de exatas e adorava meus amigos de faculdade. Entrei para a mesma faculdade que meus amigos de ensino médio. Então teve um período que foi divertido fazer. Mas já no meu primeiro período de faculdade, eu matava as aulas de Cálculo para ir para as aulas de teatro. Pegava matérias eletivas do curso de cinema da faculdade para ir fazendo. Ali fiz Direção de Atores. Era a única matéria durante meu período estudando engenharia que eu não matava. Me apresentava nos teatros e convidava os professores para me assistirem achando que isso iria aumentar minha nota. Eu decidi seguir a carreira artística, de fato, aos 13 anos de idade, mas só fui ter coragem de ir atrás dela quando vi que minha vida estava se resumindo a virar madrugada estudando algo que não curtia mais. Me via indo para a faculdade por obrigação e, um dia, antes de entrar na aula de física IV, decidi que iria procurar uma faculdade de teatro para fazer. E assim fiz. Segui meu coração.

Foto: Divulgação

Atualmente você está em Central de Bicos, da Multishow. Como foi para você atuar na comédia? Foi desafiador. Acho que se você estiver disponível para estar ali presente e jogando com o momento, já vai ajudar, e muito, nas cenas cômicas. Aprendi fazendo e observando esses atores o uso das pausas e ritmos. A comédia é uma prática que além de exigir espontaneidade, te exige criatividade e técnica. E eu tive a sorte de ter feito um projeto com pessoas que faziam isso muito bem e que eu pude aprender um pouco com eles.

Você esteve também no filme A Suspeita, onde contracenou com Glória Pires. Como foi atuar com ela? Glória Pires é uma atriz que eu admiro muito e trabalhar com ela foi algo que eu sempre quis fazer e sou muito grata por essa oportunidade. Cresci assistindo-a, interpretando as irmãs Rute e Raquel, no sucesso que foi a novela Mulheres de Areia, na Rede Globo. Foi incrível ver de perto a entrega dela ao personagem que aos poucos ia perdendo a memória, o seu processo de estudo e sua visão do papel do ator. E esse filme ainda foi selecionado para participar da abertura do Festival de Gramado. Só tenho a agradecer.

Além de atriz, você também foi assistente de direção em produções como Bom dia, Verônica e estará na equipe de Cangaço Novo, da Amazon Prime Video. Fale também da experiência por trás das câmeras... Eu amo também ter esse conhecimento dos componentes que são necessários para se montar um projeto audiovisual. Hoje eu levo tudo o que eu aprendi, e aprendo, para o meu lado de atriz. Seja posicionamento de câmera, análise de um roteiro, produção de arte. Cada elemento por trás das câmeras ajuda a não só você conhecer o seu ambiente de trabalho e como ele se organiza e funciona, mas também te ajuda na hora de você perfomar. Um set pode ser muito assustador e quanto mais ambientalizado você estiver com o que está acontecendo a sua volta, mas foco e atenção você vai dar para aquilo que realmente necessita que é a atuação. Tenho sorte de poder transitar entre os dois mundos e ter pessoas que me colocam para atuar como atriz em cada projeto que faço por trás das câmeras. 

Quais são seus próximos planos como atriz? Estou sentindo muito a necessidade de criar algo meu. De compartilhar a minha visão de mundo e criatividade. Acredito que, agora com a internet, não temos mais fronteiras e nem precisamos de apenas um veículo para mostrar nossa arte. Tem alguns projetos que estão fervilhando e logo vocês verão por aí. Além disso, tenho um projeto de dar aulas de teatro para as pessoas em situação de vulnerabilidade. Acho que a arte salva, a cultura salva e precisamos levar isso para o maior número de pessoas possíveis.